Núcleo de Estudos Contemporâneos de Literatura Italiana
  • Publicado em 21/02/2019 às 17:18 05Thu, 21 Feb 2019 17:18:12 +000012.


  • Curso: Às margens da poesia e do romance

    Publicado em 27/06/2019 às 13:34 01Thu, 27 Jun 2019 13:34:16 +000016.

    Dando sequência à programação da Escola de Altos Estudos UFSC-USP, divulgamos a disciplina a ser ministrada pelo Prof. Titular Enrico Testa (Univ. Genova).

    Data do Curso – 26-30 de agosto de 2019

    Matrícula Alunos Regulares: 22 a 26 de julho

    Matrícula Disciplina Isolada: 5 e 6 de agosto

    Programa:

    Às margens da poesia e do romance. Da língua suspensa entre gramática e sentido ao personagem menor da narrativa

    Período UFSC: 26-30 de agosto 2019

    Período USP: 2-6 de setembro 2019

    Programa: Neste ciclo de aulas pretende-se abordar, examinando alguns textos poéticos e narrativos, um ponto crucial da reflexão sobre a linguagem, resumível na questão: “Gramática e língua coincidem? Ou há fenômenos que escapam dessa equivalência presumida e totalizante?”. Para tal fim, após propor as definições mais usuais de “gramática”, serão pontuados e problematizados aspectos verbais que parecem fugir de um rígido enquadramento gramatical, como onomatopeias, interjeições, sinais discursivos, reticências, elementos dêiticos, etnônimos, episódios do assim chamado “discurso interior” – verdadeiros casos de texto agramatical – e o fenômeno singular de “gramáticas em conflito”, representado pela tradução poética. Na convicção de que o nexo entre marginalidade e literatura não é um aspecto redutível unicamente à dimensão linguística, será tratado, finalmente, o papel da personagem menor no romance, considerado como uma espécie de interjeição no tecido, diegético, “lógico” e, logo, gramatical da narração.

    Aula 1Toda regra tem suas exceções

    O que é a gramática? Etimologia e história do termo. Especificidades da gramática do italiano. Gramática de frase e gramática do texto. Alguns primeiros fenômenos fundadores da linguagem e da textualidade, mas laterais à gramática como código: onomatopeias, interjeições e sinais discursivos. Leitura e comentário de Dialogo, de Giovanni Pascoli (de Myricae), Lamento I III de Giorgio Caproni (de A passagem de Enéas).

    Aula 2A palavra entre contexto e silêncio

    Análise da ancoragem situacional do discurso (a dêixis), do uso depreciativo e ideológico da categoria linguística dos etnônimos e, no polo oposto, do significado do silêncio e do gênero específico do “discurso interior” ou endofasia. Exemplos da língua comum e jornalística. Leitura e comentário de trechos de Narratori delle pianure [Narradores das planícies] e Quattro novelle sulle apparenze [Quatro contos sobre aparências], de Gianni Celati e de O jogo do reverso, de Antonio Tabucchi. Análise de La piccola cordigliera [A pequena cordilheira] e Il vetrone [A lâmina de gelo], de Giorgio Caproni (de Il Conte di Kevenhüller [O conde de Kevenhüller]e Il muro della terra [O muro da terra]). Exemplos de Diario, de Jacopo da Pontormo.

    Aula 3A gramática desengonçada e as gramáticas no espelho

    Leitura e comentário de textos “desgramaticados” de duas semicoletâneas: uma mística do século XVII (S.Veronica Giuliani, Diario, 17-18 de janeiro de 697) e um pícaro emiliano do século XX (P. Ghizzardi, Mi richordo anchora [Ainda me lembro]). E, no polo oposto de complexidade, o caso da translação da palavra poética de uma língua e de um sistema de regras para outra língua e suas regras. Exemplos de tradução poética retirados do Quaderno di traduzioni [Caderno de traduções], de Eugenio Montale.

    Aula 4O personagem no romance

    Premissa à marginalidade narrativa: uma tentativa de distinção entre dois grandes tipos de personagem de romance, com exemplos de textos italianos e estrangeiros.

    Aula 5Quase uma gralha ou um erro: o personagem menor

    Qual é a função dos personagens que aparecem de forma elíptica no desenvolvimento da trama? Algumas vezes parecem enquadráveis no estatuto do grito, outras vezes no estatuto da pausa de silêncio, do comentário à margem ou da exclamação. Por meio de uma série de casos tentaremos identificar alguns traços constantes e de união.

    Agamben. Il linguaggio e la morte, Torino, Einaudi, 1982.

    Agamben. Categorie italiane. Roma-Bari: Laterza, 1996.

    Agamben. Infanzia e storia. Torino, Einaudi, 1978.

    Agamben, Pascoli e il pensiero della voce. Prefazione a G. Pascoli, Il fanciullino, Feltrinelli, Milano 1982, pp. 7-21.

    Barthes, Perché amo BenvenisteLa divisione dei linguaggi, in Id., Il brusio della lingua. Saggi critici IV, Einaudi, Torino 1988, pp. 173-177; 99-111.

    Bazzanella, Segnali discorsivi, in Enciclopedia dell’italiano, cit., pp. 1303-1305*

    Bazzanella, Linguistica e pragmatica del linguaggio: un’introduzione, Laterza, Roma-Bari 2009.

    Blanchot. Il libro a venire, Torino, Einaudi, 1969.

    G.R. Cardona, Introduzione all’etnolinguistica, Torino, Utet 2006, pp. 183-202.

    G.R. Cardona, Testo interiore, testo orale, testo scrittoLinguaggio, pensiero e razionalitàModalità linguistiche della preghiera interiore, in G.R. Cardona, I linguaggi del sapere, a cura di C. Bologna, Laterza, Roma-Bari 2006, pp. 333-344; 355-361; 362-367.

    D’Achille, L’italiano dei semicolti, in Storia della lingua italiana, a cura di L. Serianni e P. Trifone, vol. III, Einaudi, Torino 1994, pp. 41-79.

    Cignetti, Interiezione, in Enciclopedia dell’italiano, cit., pp. 671-674*

    Mortara Garavelli, Manuale di retorica, Bompiani, Milano 1997, pp. 253-254 e 319-320.

    Foucault. Il pensiero del fuori. SE. Milano, 1998.

    Garroni, L’indeterminatezza semantica: una questione liminare, in Ai limiti del linguaggio, a cura di F. Albano Leoni e altri, Laterza, Roma-Bari 1998, pp. 49-78.

    Serianni, Prima lezione di grammatica, Laterza, Roma-Bari 2006.

    Marazzini, Grammatica, in Enciclopedia dell’italiano, diretta da Raffaele Simone, Istituto dell’Enciclopedia Italiana, Roma 2011, pp. 599-603*

    Palermo, Linguistica testuale dell’italiano, Bologna, il Mulino 2013.

    Testa, Pascoli, Giovanni, in Enciclopedia dell’italiano, cit., pp. 1072-1074*

    Testa, Prefazionea E. Montale, Quaderno di traduzioni, il cannetto il lungo, Genova, 2018.

    Testa, Eroi e figuranti. Il personaggio nel romanzo, Einaudi, Torino 2009.

    Testa, Il personaggio minore come risorsa etica del romanzo, in I personaggi minori. Funzioni emetamorfosi di una tipologia del romanzo moderno, a cura di S. Sbarra, Pacini, Pisa 2017, pp. 171-198.

    Vanelli e L. Renzi, La deissi, in Grande grammatica italiana di consultazione, a cura di L. Renzi, G. Salvi e A. Cardinaletti, vol. III, Bologna, il Mulino 1995, pp. 261-375.

    Woloch, The One vs. the Many. Minor Characters and the Space of the Protagonist in the Novel, Princeton University Press, Princeton 2003, pp. 125-176.


  • Resíduos do humano

    Publicado em 19/06/2019 às 14:35 02Wed, 19 Jun 2019 14:35:14 +000014.

    FAÇA O DOWNLOAD GRATUITO AQUI 

     

     

     

    O sobrevivente do século XX é um homem dilacerado, o homem da contemporaneidade, momento em que as visões totalizantes (outra coisa são os totalitarismos) são colocadas em xeque, diante de um mundo em constante mudança que só consegue dar conta – quando dá – de pequenas partes, fragmentos, ruínas.
    A literatura configura-se, então, como lugar de revolta da linguagem e lugar de revolta da história, da experiência. Ecos, vibrações, vozes silenciosas são movimentos, outras vidas e memórias de tempos naufragados. Um naufrágio que está ali, adormecido, talvez esquecido, mas pode vir à tona a qualquer momento.
    Como ler hoje, na contramão ou nas entrelinhas de certa história literária, as vertentes que questionam os axiomas do próprio fazer literário – sujeito, palavra, personagem, contexto – e o “centralismo humanista” desse fazer?
    Os sete ensaios aqui reunidos aceitam o desafio de colocar em discussão essa e outras temáticas correlatas, a partir, sobretudo, da análise das obras de alguns autores : Antonio Tabucchi, Silvio D’Arzo, Gianni Celati, Angelo Maria Ripellino, Giuseppe Ungaretti, Giorgio Manganelli, Juan Rodolfo Wilcock, Italo Calvino, Rina Sara Virgillito.
    Resíduos do humano é um primeiro momento de discussão crítica que será continuada, em volumes de próxima publicação, a partir de questões paralelas como o contemporâneo e o anacrônico.

  • Lançamento de livros na Semana de Letras UFSC 2019

    Publicado em 29/05/2019 às 16:24 04Wed, 29 May 2019 16:24:09 +000009.

    Lançamento dos livros no Auditório da Reitoria da UFSC, dia 03 de junho, às 16:30. 

     

    Resíduos do humano

    O sobrevivente do século XX é um homem dilacerado, o homem da contemporaneidade, momento em que as visões totalizantes (outra coisa são os totalitarismos) são colocadas em xeque, diante de um mundo em constante mudança que só consegue dar conta – quando dá – de pequenas partes, fragmentos, ruínas.
    A literatura configura-se, então, como lugar de revolta da linguagem e lugar de revolta da história, da experiência. Ecos, vibrações, vozes silenciosas são movimentos, outras vidas e memórias de tempos naufragados. Um naufrágio que está ali, adormecido, talvez esquecido, mas pode vir à tona a qualquer momento.
    Como ler hoje, na contramão ou nas entrelinhas de certa história literária, as vertentes que questionam os axiomas do próprio fazer literário – sujeito, palavra, personagem, contexto – e o “centralismo humanista” desse fazer?
    Os sete ensaios aqui reunidos aceitam o desafio de colocar em discussão essa e outras temáticas correlatas, a partir, sobretudo, da análise das obras de alguns autores : Antonio Tabucchi, Silvio D’Arzo, Gianni Celati, Angelo Maria Ripellino, Giuseppe Ungaretti, Giorgio Manganelli, Juan Rodolfo Wilcock, Italo Calvino, Rina Sara Virgillito.
    Resíduos do humano é um primeiro momento de discussão crítica que será continuada, em volumes de próxima publicação, a partir de questões paralelas como o contemporâneo e o anacrônico.
    Link para download gratuito:

    Unfinished Italy:

    paradigmas para um novo pensamento

     

    Este primeiro lançamento da Coleção Instantâneos traz um dos maiores pensadores da atualidade, o italiano Roberto Esposito.

    Unfinished Italy: paradigmas para um novo pensamento, mais do que uma viagem pela cultura italiana, propõe outros olhares para se pensar a relação com a história, a arte, a política e a economia. Numa escrita clara e direta, este brilhante ensaio reflete sobre alternativas para um mundo mais solidário, colocando na pauta da discussão contemporânea temas caros ao próprio Brasil: corrupção, especulação, mal governo, esquecimento. Diante dessa instigante síntese, Esposito inspira o leitor a imaginar e construir projetos para o nosso futuro, sem deixar de lado a urgência do presente.

     

    Link para compra (pré-venda):

    Download Unfinished Italy: paradigmas para um novo pensamento


  • Participação de Enrico Testa em Chiasso Letteraria com Fabio Pusterla

    Publicado em 15/05/2019 às 16:21 04Wed, 15 May 2019 16:21:47 +000047.

    Enrico Testa, poeta e professor da Università di Genova, que será o próximo convidado do projeto Escola de Altos Estudos “Literatura e arte no pensamento italiano contemporâneo”, foi o poeta homenageado. Fabio Pusterla, outro grande poeta, foi o debatedor e mediador do encontro.

    Enrico Testa e Fabio Pusterla, que foi um dos convidados da FLIP-2018, estão na antologia Vozes: cinco décadas de poesia italianae possuem alguns títulos já traduzidos no Brasil:

                                                                           

    Assista ao encontro:

     


  • Call for papers – Congresso ABPI

    Publicado em 21/04/2019 às 10:56 10Sun, 21 Apr 2019 10:56:13 +000013.

    22-25/10/19 –  UFMG

    Congresso Associação Brasileira de Professores de Italiano – ABPI

     

    O Simpósio Literatura e arte do pensamento italiano contemporâneo é mais uma das atividades realizadas ao longo do ano de 2019 dedicada ao pensamento italiano e sua relação com a produção artística e cultural. O Simpósio  tem como objetivo propor uma discussão transdisciplinar das relações entre literatura, arte, antropologia, filosofia e sociologia. A literatura é carregada de marcas, indícios, rastros que falam sobre o homem, sobre sua relação com o fora, tecendo
    uma complexa e imbricada trama cultural em constante diálogo com o espaço das diferenças. A partir
    desses pressupostos, pretende-se debater sobre as conexões e relações entre literatura, arte e pensamento como aberturas, territórios porosos e ruinosos e, sobretudo, como um laboratório de experiências com – na
    – da linguagem. Pensar a linguagem, de fato, é entrar no âmago da experiência humana, é penetrar num espaço misterioso e, ao mesmo tempo, necessário e fugaz, indecidível, como aponta Giorgio Agamben em
    O fogo e o relato. A anacronia é um instrumento decisivo, nesse sentido, para a leitura de um evento, da mesma forma que a reflexão sobre a contemporaneidade do não-contemporâneo não deixa de ser um dos
    traços marcantes do pensamento italiano; ou seja, o de colocar-se, exatamente, numa convergência de tensões entre sincronia e diacronia. A relação com a origem pode-se dizer que é um de seus núcleos originários, e é por isso que os autores que inscrevem a tradição cultural italiana a partir de Dante não escapam, por exemplo, a uma reflexão sobre a língua ou sobre a mais conhecida “questione della lingua”. É nesse sentido que Roberto Esposito, em Da Fuori, afirma que o pensamento italiano, como sua própria língua, elabora uma multiplicidade de soluções e de linhas de fuga, que nasce da convivência do italiano clássico com outras línguas, desde o latim até os dialetos e as línguas locais. O pensamento pode ser visto, assim, como uma operação com a linguagem, que desativa a própria linguagem e deixa inoperantes as
    funções comunicativas e/ou informativas, possibilitando assim um novo uso. É esse traço híbrido, heterogêneo, experimental e, até, espectral que caracteriza não somente algumas obras artísticas, mas o próprio “movimento” do pensamento. De Dante Alighieri a Ludovido Ariosto, Giorgio Manganelli, Franco Fortini, Gianni Celati, Elsa Morante, Vittorio Sereni, Eugenio Montale, Giorgio Caproni, Giovanni Raboni, Pier Paolo Pasolini, Aldo Palazzeschi, Antonella Anedda, Patrizia Cavalli, Enrico Testa, Maria Grazie Calandrone, Mariangela Gualtieri, Alda Merini, Laura Pugno e de Machiavelli, Vico, Giordano Bruno a Giorgio Agamben, Franco Rella, Roberto Esposito, Massimo Cacciari, Dario Gentili, Enrica Lisciani-Petrini, Andrea Cortellessa, a produção italiana vem expondo e colocando essa problemática. A proposta deste Simpósio está relacionada ao projeto homônimo da Escola de Altos Estudos da CAPES, realizado pela
    UFSC e pela USP.

     

    Para maiores detalhes clique aqui


  • Literatura e Arte no Pensamento Italiano Contemporâneo Escola de Altos Estudos – CAPES

    Publicado em 17/03/2019 às 19:07 07Sun, 17 Mar 2019 19:07:32 +000032.

     

    As aulas em PDF e os vídeos já estão disponíveis

    (link Profa. Aurora Conde Muñoz abaixo)

     

     

     

    Curso: Visibilidade: as ondas concêntricas entre escrita e imagem

    Período UFSC: 6-10 de maio 2019 – ppglitufsc@gmail.com

    Período USP: 13-17 de maio 2019 – dlm@usp.br

    Breve Resumo:

    As 5 aulas abordarão novas formas de interação a imagem (plástica, cinematográfica, fotográfica) estabelece com a literatura. A grande mudança que escritura e arte enfrentaram no tocante à dúvida relativa ao real e à indefinição referencial. Serão abordados alguns textos específicos em que a coincidência entre artes visuais e literatura (relação escrita/imagem) deixou rastros particularmente marcantes, contribuindo para uma radical renovação de conteúdos e temáticas.

     

    O Núcleo de Estudos Contemporâneos de Literatura Italiana (NECLIT) vem desenvolvendo uma importante atividade de pesquisa no âmbito da literatura italiana e sua relação com o pensamento crítico. Nos últimos anos, organizou congressos internacionais com problemáticas específicas e cruciais para o nosso momento histórico: Resíduos do humano (2016): Contemporaneidades na-da Literatura Italiana (2017); Anacronias na-da literatura italiana e movimentos possíveis (2018). As pesquisas, discussões e os debates em 2018 culminaram na elaboração do projeto “Literatura e arte no pensamento italiano contemporâneo”, aprovado pelo Edital Escola de Altos Estudos – CAPES (Edital 14/2018 CAPES 88881.198177/2018-01), realizado pelo Programa de Pós-Graduação em Literatura da UFSC e o Programa de Pós-Graduação em Língua, Literatura e Cultura Italianas da USP.

    As disciplinas oferecidas pelos professores convidados pelo projeto EAE serão realizadas na UFSC e na USP.

     

    Para maiores informações, acesse os links abaixo:

    Apresentação | Equipe

     

    Convidados | Programas

     

    Profa. Aurora Conde Muñoz (Universidad Complutense Madri)

     

    Prof. Enrico Testa (Università di Genova)

     

    Atividades correlatas


  • ANACRONIAS DA/NA LITERATURA ITALIANA | Confira os vídeos dos encontros

    Publicado em 29/11/2018 às 22:59 10Thu, 29 Nov 2018 22:59:49 +000049.

    O evento acabou, mas os vídeos das conferências já estão disponíveis aqui no site do NECLIT!!  

      


  • Quartas Italianas no CIC | 2019

    Publicado em 29/08/2018 às 12:48 12Wed, 29 Aug 2018 12:48:49 +000049.

                                                     

             24/04/19                                                 22/05 /19                                                   12/06

      A cada um o seu                                            A filha perdida                                 O visconde partido ao meio

      Leonardo Sciascia                                         Elena Ferrante                                   Italo Calvino

     

    A ideia geral é tirar o texto literário da sala de aula e verificar de que formas ele pode falar para leitores diversos e com sensibilidades diferentes. O projeto é dirigido a um público multicultural e interessado em literatura em geral que, por meio de textos da literatura italiana, terá a oportunidade de entrar em contato com textos escolhidos e, de alguma maneira, fundamentais na literatura universal.

     

    Projeto Quartas Italianas
    Quando: quartas feiras (primeiro encontro: 27/03)
    Horário: 17h30
    Inscrições: até 26 de março de 2019
    Clique aqui para acessar o formulário de incrições
    Local: Biblioteca de Arte e Cultura / CIC
    Endereço: Av. Governador Irineu Bornhausen, 5600
    Agronômica – Florianópolis – SC
    Informações: (48) 3664 2683.

  • Blog – Literatura Italiana Traduzida no Brasil – siga e fique atualizado!

    Publicado em 07/05/2018 às 18:25 06Mon, 07 May 2018 18:25:23 +000023.

    O blog da Literatura Italiana Traduzida é uma ferramenta de pesquisa fruto do trabalho do Dicionário de literatura italiana traduzida no Brasil,que reúne, registra e cataloga, por meio de verbetes, os livros publicados no Brasil, desde 1900 até os dias de hoje, e é fruto de uma parceria entre a UFSC e a USP. Este projeto de pesquisa jà contou com apoio do CNPq, da CAPES e da FAPESC.

    Continue a leitura » »