Mani, lingua e respiro: 100 anos de Andrea Zanzotto | 16-17/11 8h30 (BR) 12h30(IT)

08/11/2021 00:27

Quantas facetas não poderiam ser atribuídas a Andrea Zanzotto (1921-2011), para muitos considerado como um do
s grandes herdeiros de Eugenio Montale. Sua produção, iniciada com a publicação de Dietro il paesaggio [Por trás da paisagem], em 1951, pode ser vista sob diferentes perspectivas: desde uma forte relação com a tradição até seu caráter mais radical e experimental, passando pelo hermetismo, por certa atmosfera bucólica, sem deixar de tratar das atrocidades da Primeira e da Segunda Guerras, do Vietnã, da destruição da natureza e da grande mudança e reconfiguração da paisagem da região do Veneto. Na verdade, o que chama a atenção na incrível e variada produção de Andrea Zanzotto é sua capacidade de ser sempre ele mesmo e sempre outro, variações, amplitudes e deslocamentos (inclusive na própria linguagem) que são articulados a partir de um espaço muito bem definido e delimitado. Esse espaço corresponde à sua cidade natal, Pieve di Soligo, no interior da região do Veneto, bem perto das Dolomitas.

O evento Mani, lingua e respiro: 100 anos de Andrea Zanzotto traz convidados especiais para discutir alguns dos aspectos de seu laboratório poético e para pensar a tradução e a circulação de sua obra no Brasil, na Argentina e na Espanha.

Para se inscrever no congresso clique qui 

Todas as atividades  serão transmitidas pelo canal YouTube do Neclit

Lançamento Primeiras Paisagens de Andrea Zanzotto | 4/11 – 17h30 (BR) 21h30 (IT)

26/10/2021 11:04

Nell’anno in cui si celebra il centenario della nascita di Andrea Zanzotto (1921-2011), presentiamo al pubblico brasiliano l’opera di un grande maestro della poesia italiana contemporanea, da molti considerato il vero erede di Eugenio Montale. Questa edizione bilingue, organizzata e tradotta da Patricia Peterle, raccoglie poesie dei tre primi libri dell’autore: “Dietro il paesaggio” (1951), “Elegia e altri versi” (1954) e “Vocativo” (1957).

A detta del poeta brasiliano Tarso de Melo “i tre libri di Zanzotto qui riuniti, che danno inizio negli anni Cinquanta alla traiettoria di uno dei maggiori poeti italiani del XX secolo, ci consegnano una poesia che parla affettuosamente della terra, di un posto sulla terra, ma che, curiosamente, non è fatta di ciò che un uomo ha da dire su quello che lo circonda, bensì di quanto tutto quello che lo circonda ha da dire su ciò che sfugge ai suoi occhi, nelle profondità della terra e della vita.”

Parteciperanno all’incontro Andrea Cortellessa, Patricia Peterle e Tarso de Melo.

Dove: Zoom

RotaLivro

10/07/2021 21:17

A RotaLivro é um projeto de caráter cultural e tem como objetivo promover um espaço de conversa e interação sobre temas contemporâneos a partir da leitura e debate de obras literárias. As ações da RotaLivro estão voltadas para a democratização da cultura, para o incentivo à leitura e para uma maior circulação de obras traduzidas. A cada encontro será escolhido um livro ou um tema que guiará a conversa.

https://youtu.be/DWeR1kZilOs 

Equipe:

 Patricia Peterle (UFSC-USP/CNPq)

Francisco Degani (pós-doutorando-PPGLit-UFSC)

Rossana Cristina Salvador (Bolsista SECARTE/UFSC)

Para ficar por dentro da nossa programação e ver quem são os nossos convidados especiais, clique aqui.

Acompanhe e participe dos nossos debates.

Krisis – Tempos de Covid-19

19/07/2020 13:21

Krisis – Tempos de Covid-19 è un progetto del Nucleo di Studi Contemporanei di Letteratura Italiana (NECLIT), attivo a Florianópolis (Brasile) presso l’Università Federale di Santa Catarina (UFSC). La proposta è creare uno spazio di riflessione, nonché un archivio, sulla tragica esperienza del Covid-19 che sta devastando la vita di tutti alle più diverse latitudini. Il sostenimento delle famiglie, la convivenza sociale, il cosiddetto smart working, le ambite conquiste rispetto alla libertà di circolazione, hanno subito grandi scossoni all’inizio di questo 2020. Come ci comportiamo di fronte a questa situazione emergenziale? Quali sono i limiti di una situazione di urgenza? Come pensiamo e ci rapportiamo con l’altro? Come pensare la post-pandemia? Sono questi gli interrogativi trattati dai nostri invitati, scrittori, poeti e artisti italiani, che ringraziamo per la partecipazione.

Responsabili del progetto:

Patricia Peterle (UFSC | CNPq)

Andrea Santurbano (UFSC)

Francisco Degani (Pós-Doutorando PPGLit | UFSC)

Rossana Cristina Salvador (Bolsa-Pro-Cultura | UFSC)

 

Revista Literatura Italiana Traduzida

19/07/2020 13:05

Em junho de 2020 o Blog se tornou Revista Literatura Italiana Traduzida, com a atribuiçao do ISSN 2675-4363. A revista continua sendo uma das iniciativas do Núcleo de Estudos Contemporâneos de Literatura Italiana (NECLIT) da Universidade de Santa Catarina, dentro do projeto de mapeamento e levantamento da literatura italiana no Brasil desenvolvido em parceria com a Universidade de São Paulo (USP). Desde 2010 vem sendo construída uma rede internacional de pesquisa dedicada às relações Itália-Brasil-Itália, a partir da circulação e tradução de obras literárias. Além de encontros, publicações várias, um dos resultados mais inovadores é a elaboração e contínua alimentação do banco de dados do Dicionário Bibliográfico da Literatura Italiana Traduzida. Tal projeto pelo seu caráter inovador vem recebendo financiamentos das agências de fomento, CNPq, FAPESP e CAPES, ao longo dos últimos dez anos, e sua rede de pesquisadores brasileiros e estrangeiros vem se intensificando.

     A Revista é sem dúvida mais um instrumento de divulgação científica, de reunião de estudiosos e interessados na literatura italiana e nas relações que essa mesma literatura vai estabelecendo com outras culturas, como por exemplo a brasileira. A Revista é um espaço de discussão, nesse sentido, os textos publicados têm como objetivo trazer reflexões de natureza bem variada. Eles podem apresentar um olhar mais transversal apostando no diálogo com outras artes, cruzamentos literários, ou trazer enfoques relativos à tradução, propor tradução de textos inéditos e fragmentos de textos. Configura-se, assim, um espaço privilegiado de encontros e trocas, que acaba se tornando uma referência para todos os que trabalham ou estudam ou perpassam pela cultura italiana.

Os autores são pesquisadores de diferentes instituições do país e de centros de pesquisa do exterior.

Resíduos do humano | Residui dell’umano

03/07/2020 12:37

O sobrevivente do século XX é um homem dilacerado, o homem da contemporaneidade, momento em que as visões totalizantes (outra coisa são os totalitarismos) são colocadas em xeque, diante de um mundo em constante mudança que só consegue dar conta, quando dá, de pequenas partes, fragmentos, ruínas. Vestígios de um passado que resta e sobrevive, um leque ainda fechado que está para ser aberto. Um arquivo vivo, na desordem do nosso cotidiano, que só pervive por meio de um contato.  A literatura configura-se, então, como lugar de revolta da linguagem e lugar de revolta da história, da experiência. Ecos, vibrações, vozes silenciosas são movimentos, outras vidas e memórias de tempos naufragados. Um naufrágio que está ali, adormecido, talvez esquecido, mas pode vir à tona a qualquer momento. Eis a potência: pequenos cacos, restos, lidos por meio da escrita. “As ruínas são, como a arte, um convite para sentir o tempo”, segundo Marc Augé. O que está em jogo é o próprio processo do pensamento sobre os restos que se tem diante de si, e que podem alterar esse mesmo “si”. É esse saber de singularidades, colocado pela literatura, que se deseja aqui pontuar.

 

A segunda edição do livro em e-book está disponível aqui.

Este volume é fruto do I Colóquio Internacional do Núcleo de Estudos Contemporâneos de Literatura Italiana (NECLIT), realizado com o apoio da CAPES, do CNPq e da FAPESC, de 20 a 24 de junho de 2016, na Universidade Federal de Santa Catarina.