Curso Escritoras italianas: um percurso entre amores e lugares

31/08/2022 22:53

“Escritoras italianas: um percurso entre amores e lugares” é um curso de curta duração organizado pela Universidad de Cordoba, UFBA e UFSC e visa a divulgação de obras de escritoras italianas. Serão no total 4 encontros, nos dias 1, 15, 22 e 29 de setembro, das 17h às 19h, em modalidade remota, pela plataforma Google Meet.

A primeira aula será uma introdução aos temas e obras que serão tratados. A profa. Sílvia Cattoni  (Univ. de Cordoba) vai tratar de Daria Menicanti, escritora que acabou de sair numa tradução trilingue espanhol-português-italiano, Il cacodemonio e il grillo (Valore Italiano, 2022). A profa. Érica Salatini (UFBA) vai explorar o complexo universo poético de Amélia Rosselli. E, por fim, a profa. Patricia Peterle vai tratar do romance Brilha como vida (Relicário, 2022) e da antologia poética A vida inteira (Urutau, 2022).

 

A nova interface do Dicionário Bibliográfico da Literatura Italiana Traduzida no Brasil

30/08/2022 21:12

O banco de dados do Dicionário Bibliográfico da Literatura Italiana Traduzida no Brasil reúne o maior número de conteúdos sobre as obras da literatura italiana traduzida no Brasil Cada obra cadastrada recebeu um detalhamento bibliográfico, que é acompanhado por informações sobre os autores.

O Dicionário está sempre em atividade, seja na inserção de novos registros seja na correção de alguns dados. é uma “obra”, o Dicionário, que só pode ser apresentar sempre incompleta, sempre a completar.

A nova cara do Dicionário deve-se aos interesses em comum em comum entre o Núcleo de Estudos Contemporâneos de Literatura Italiana (NECLIT) e o Núcleo de Pesquisa em Informática, Literatura e Linguística (NUPILL) decidiram se unir. Os dados do Dicionário Bibliográfico da Literatura Italiana Traduzida foram migrados para a plataforma do NUPILL, com o apoio do Laboratório de Pesquisa em Sistemas Distribuídos.

Laboratório de Tradução – NECLIT

30/08/2022 15:26

  Trabalhar é um prazer de Cesare Pavese é o resultado do Laboratório de Tradução realizado pelo NECLIT, sob a coordenação do então pós-doutorando Francisco Degani, realizado em 2019.

São no total 14  contos muito curtos escrito. Esses contos de Pavese, importante poeta e escritor italiano, que viveu no início do século XX, são carregados de significado, mostram  a necessidade de passar pequenos vislumbres da vida em forma concentrada, onde a precisão da palavra (e este é o grande desafio dos tradutores) assume o plano simbólico em que é possível coexistir presente e passado, realidade e fantasia, tempo e espaço.

O grupo de tradutores é formado por alunos de graduação. alunos de pós-graduação e professores: Agnes Ghisi, Caroline Weiss, Fabiana V. Assini, Helena Bressan Carminati, Iane Poyer, Luiza Kaviski Faccio, Mariele Lucia Tortelli, Nirvana Dornelles, Patricia Peterle, Rossana Cristina Salvador, Tiago Faria.

Um agradecimento especial vai à toda equipe da 7Letras que acreditou no projeto.

Da orelha de Silvana de Gaspari: “Minha vida é tudo menos sedentária; posso até dizer que tive aventuras insólitas, reveses, recomeços, tempestades, e as provações ainda não acabaram.” (p.42) É desta forma que o narrador do conto “Uma Certeza” se descreve. E é como identificamos Cesare Pavese, autor italiano do século XX, escolhido pelo tradutor e organizador Francisco Degani, e pelo Grupo de Prática de Tradução Literária, responsável pelas traduções, para compor esta seleção de narrativas que dão forma ao volume Trabalhar é um prazer. São 14 microcontos e, segundo Degani, a ideia, ao escolher os textos aqui propostos, era trazer ao leitor narrativas de caráter mais intimista, que indicassem o retorno de Pavese ao passado, às suas memórias de infância. E memória se identificacomo palavra-chave desta coletânea. Os contos traduzidos são recortes de vida, visõesde um mundo infantil que olha a realidade e vê seus sonhos e seus anseios com aingenuidade daquele que aguarda que a vida lhe traga o melhor: “O dia em que pareidiante de um milharal e ouvi o farfalhar dos longos caules secos balançando ao ar,recordei algo que há muito havia esquecido. [….] Este é um lugar para se retornar”(p.22). Retornar à infância como respiro para o mundo adulto, talvez como resposta parasua insanidade e suas impossibilidades de perdão pelos sonhos de menino que foramsendo descartados ao longo do caminho. Décio Pignatari, em Errâncias, denominariamagistralmente esse movimento de “biobalanço”. E, ainda, a intensidade destas narrativas curtas nos dão a sensação de doces fluxos de memória, nos identificando comos planos que foram sendo tecidos em nossa infância, algumas vezes com o olhar doceda ingenuidade e outras com o sabor amargo da dura realidade presente.

 

L’Arminuta de Giuseppe Bonito

03/07/2022 19:54

Veja do debate o texto de  Iara Regina Schemes  “A Devolvida, a Ariadne grega”

Direção Giuseppe Bonito
Argumento Monica Zapelli, Donatella Di Pietrantonio

Produção Roberto Sbarigia, Maurizio Tedesco, Manuel Tedesco, Javier Krause

O filme”L’Arminuta”, de Giuseppe Bonito é baseado no romance da escritora Donatella Di Pietrantonio, que foi nossa hóspede em 2019.
A exibição será em italiano, com legendas também em italiano, no Auditório H. Fontes, dia 08/07, a partir das 8:20.

Conheça a trilogia dedicada à Literatura Italiana

03/07/2022 19:27

 

                                  

 

Trilogia crítica é dedicada à Literatura Italiana, incluindo desde autores mais clássicos como Dante Alighieri até aos mais contemporâneos como Michele Mari e Antonella Anedda. Os volumes são resultados de uma rede de pesquisa internacional que contou com a participação de especialistas atuantes no Brasil e em outros paísesA realização dos eventos, ocorridos em 2016, 2017 e 2018, so foi possível graças ao apoio da CAPES, do CNPq e da FAPESC. Todos os eventos foram realizados na Universidade Federal de Santa Catarina.

Com apenas um clique nas capas os PDF estão disponíveis!!

Mani, lingua e respiro: 100 anos de Andrea Zanzotto

08/11/2021 00:27

Quantas facetas não poderiam ser atribuídas a Andrea Zanzotto (1921-2011), para muitos considerado como um do
s grandes herdeiros de Eugenio Montale. Sua produção, iniciada com a publicação de Dietro il paesaggio [Por trás da paisagem], em 1951, pode ser vista sob diferentes perspectivas: desde uma forte relação com a tradição até seu caráter mais radical e experimental, passando pelo hermetismo, por certa atmosfera bucólica, sem deixar de tratar das atrocidades da Primeira e da Segunda Guerras, do Vietnã, da destruição da natureza e da grande mudança e reconfiguração da paisagem da região do Veneto. Na verdade, o que chama a atenção na incrível e variada produção de Andrea Zanzotto é sua capacidade de ser sempre ele mesmo e sempre outro, variações, amplitudes e deslocamentos (inclusive na própria linguagem) que são articulados a partir de um espaço muito bem definido e delimitado. Esse espaço corresponde à sua cidade natal, Pieve di Soligo, no interior da região do Veneto, bem perto das Dolomitas.

O evento Mani, lingua e respiro: 100 anos de Andrea Zanzotto traz convidados especiais para discutir alguns dos aspectos de seu laboratório poético e para pensar a tradução e a circulação de sua obra no Brasil, na Argentina e na Espanha.

Para se inscrever no congresso clique qui 

Todas as atividades  serão transmitidas pelo canal YouTube do Neclit

Lançamento Primeiras Paisagens de Andrea Zanzotto

26/10/2021 11:04

Nell’anno in cui si celebra il centenario della nascita di Andrea Zanzotto (1921-2011), presentiamo al pubblico brasiliano l’opera di un grande maestro della poesia italiana contemporanea, da molti considerato il vero erede di Eugenio Montale. Questa edizione bilingue, organizzata e tradotta da Patricia Peterle, raccoglie poesie dei tre primi libri dell’autore: “Dietro il paesaggio” (1951), “Elegia e altri versi” (1954) e “Vocativo” (1957).

A detta del poeta brasiliano Tarso de Melo “i tre libri di Zanzotto qui riuniti, che danno inizio negli anni Cinquanta alla traiettoria di uno dei maggiori poeti italiani del XX secolo, ci consegnano una poesia che parla affettuosamente della terra, di un posto sulla terra, ma che, curiosamente, non è fatta di ciò che un uomo ha da dire su quello che lo circonda, bensì di quanto tutto quello che lo circonda ha da dire su ciò che sfugge ai suoi occhi, nelle profondità della terra e della vita.”

Parteciperanno all’incontro Andrea Cortellessa, Patricia Peterle e Tarso de Melo.

Dove: Zoom

RotaLivro – debates sobre autores e obras que marcaram a literatura italiana

10/07/2021 21:17

A RotaLivro é um projeto de caráter cultural e tem como objetivo promover um espaço de conversa e interação sobre temas contemporâneos a partir da leitura e debate de obras literárias. As ações da RotaLivro estão voltadas para a democratização da cultura, para o incentivo à leitura e para uma maior circulação de obras traduzidas. A cada encontro será escolhido um livro ou um tema que guiará a conversa.

https://youtu.be/DWeR1kZilOs 

Equipe:

 Patricia Peterle (UFSC-USP/CNPq)

Francisco Degani (pós-doutorando-PPGLit-UFSC)

Rossana Cristina Salvador (Bolsista SECARTE/UFSC)

Para ficar por dentro da nossa programação e ver quem são os nossos convidados especiais, clique aqui.

Acompanhe e participe dos nossos debates.

Encontro com Franco Rella

03/07/2021 11:43

 na Disciplina PPGLit Experiência e escritura prof. Andrea Santurbano

15/07/21, 15h

clique aqui para sua inscrição 

 

“A tarefa da arte é abrir questões lá onde havia respostas”. É com essas palavras que Franco Rella indica o cerne tanto deste livro quanto de todo seu pensamento estético. Limiares: entre arte e filosofia traz as reflexões de um dos mais importantes autores italianos da contemporaneidade, apresentando, ao mesmo tempo, admiravelmente, seu método de trabalho; ou seja, tirar o pensamento do domínio exclusivo da filosofia e considerar como seu campo de atuação privilegiado a esfera da arte.

 

Franco Rella é um dos maiores filósofos italianos contemporâneos. Professor titular de Estética do Istituto Universitario di Architettura di Venezia (IUAV), colaborou com instituições como Galleria di Arte Moderna em Roma e Musée d’ Orsay em Paris.

 

7Letras

 

Revista Literatura Italiana Traduzida

02/07/2021 11:39

Blog- Literatura Italiana Traduzida

2020 iniciou com uma epidemia que virou pandemia que, agora, atinge os territórios mais diferentes e distantes. Não há mais fronteiras, a globalização expõe suas fragilidades. Uma espécie de nuvem transparente e letal continua pelo ar. Desloca-se junto com os nossos corpos, por isso é necessária a atenção ao isolamento.

Não é mais possível negar essa realidade que se dá a ver cruelmente, com seu rosto surreal e hiper-real. Agora, é fundamental combater os inimigos de nossa humanidade, sentir os silêncios, lutar pelo direito à vida, pensar no outro, conseguir enfrentar nossas fraquezas e medos.

No meio da Pandemia, o NECLIT reativa o Literatura Italiana Traduzida, trazendo questionamentos sobre a pandemia, resenhas de livros, artigos que propõem uma reflexão que se faz cada mais urgente. Uma iniciativa para estreitar ainda mais a relação entre a UFSC e sociedade.

 

Alguns dos textos sobre: Fabio Pusterla, Guido Cavalcanti, Antonia Pozzi…

Textos de Roberto Esposito e sobre a poética de Pasolini…

 

  • Página 2 de 4
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4